Acidente vascular cerebral no Brasil: estimativa contemporânea do custo da doença no período hospitalar

Publication year: 2017

Introdução:

O AVC está entre as três principais causas de anos de vida perdidos no Brasil. Constitui um problema de saúde pública com impacto socioeconômico tanto para o sistema de saúde quanto para a sociedade. Apesar da importância do AVC para a saúde pública brasileira, dados sobre custo da doença no Brasil são escassos.

Métodos:

Uma revisão da literatura foi conduzida no Pubmed (via Medline), CRD Database, Embase, Tripdatabase, LILACS, Scielo e BVS a fim de identificar dados previamente disponíveis sobre custos diretos do AVC no Brasil. Extraídos os dados, procedeu-se a atualização dos valores segundo o IPCA e o VCMH. Estimou-se também custos indiretos relacionados à doença no período hospitalar.

Resultados:

O custo médio nacional do atendimento hospitalar para o AVCh foi da ordem de R$ 415 milhões e R$ 1,1 bilhões para o AVCi. Quando considerada a indexação pelo VCMH, tais alcançariam, respectivamente, R$ 608 milhões e R$ 1,6 bilhões ‒ com aumento 32%. O custo diário com perda de produtividade para a população brasileira nesse período foi estimado em R$ 861 mil para o AVCh e R$ 6,6 milhões para o AVCi.

Conclusão:

O presente estudo demonstrou que a ocorrência do AVC arrasta consigo perdas econômicas elevadas para o país. Os resultados indicam a necessidade de implementação de políticas públicas que visem reduzir os casos de AVC no Brasil, de forma não só a gerar melhor alocação e distribuição dos recursos no sistema de saúde como também poupar com perdas de produtividade.

Introduction:

Stroke is among the three main causes of years of life lost in Brazil. It is a public health problem with socioeconomic impact both for the health system and for the society. Despite the importance of stroke in Brazilian public health, data on the cost of the disease in Brazil are scarce.

Methods:

A literature review was performed in Medline (via Pubmed), CRD Database, Embase, Tripdatabase, LILACS, Scielo and BVS to identify previous available data about direct costs of stroke in Brazil. The data were extracted, and then the costs were updated according to the IPCA and the VCMH. Indirect costs related to the disease on the length of stay in hospital were also estimated.

Results:

The national average of hospital care costs for hemorrhagic stroke was around R$ 415 million and for ischemic stroke, around R$ 1.1 billion. When considering indexation by VCMH, these costs would reach R$ 608 million and R$ 1.6 billion, respectively - which represents a 32% increase. The daily cost with loss of productivity for the Brazilian population during hospitalization was estimated at R$ 861 thousand for the hemorrhagic stroke and R$ 6,6 million for the ischemic stroke.

Conclusion:

The present study demonstrated that the occurrence of stroke leads to high economic losses for the country. The results indicate the need to implement public policies focused on reducing stroke cases in Brazil, not only to generate better allocation and distribution of resources in the health system, but also to save with productivity losses.