Estenose valvular aórtica e o uso de TAVI: revisão narrativa das evidências publicadas e avaliação básica de custos
Aortic valve stenosis and the use of TAVI: narrative review of published evidences and basic costs assessment

J. bras. econ. saúde (Impr.); 10 (1), 2018
Publication year: 2018
Resumo
Objetivo: Revisar as evidências clínicas da estenose valvular aórtica em suas dimensões médica e econômica, analisando as alternativas de tratamento cirúrgico em pacientes de alto risco cirúrgico com foco na tecnologia do implante transcateter de válvula aórtica (TAVI). Métodos: Foi elaborada uma revisão narrativa das publicações relacionadas à estenose vascular aórtica e às metodologias de tratamento cirúrgico, assim como a comparação entre a metodologia TAVI e as abordagens convencionais (substituição cirúrgica de válvula aórtica por esternotomia, valvuloplastia por balão intra-aórtico e tratamento farmacológico), abordando ainda dados sobre algumas diferentes marcas e gerações de dispositivos de TAVI oferecidas no mercado brasileiro, avaliando a eficácia, a segurança e o custo de tratamento. Resultados: Em pacientes portadores de estenose aórtica grave sintomática e inoperáveis pela abordagem convencional, o uso do TAVI mostrou ser uma alternativa mais segura, eficaz e econômica em comparação aos tratamentos convencionais. Estudos com robustez metodológica mostram que esse procedimento alcança taxas superiores a 80% de sobrevida em um ano e aproximadamente 30% em cinco anos, mesmo em pacientes de alto risco. No entanto, foram observadas diferenças significativas nos desfechos entre diferentes estudos, que podem ser atribuídas não apenas ao desenho e à amostragem, mas às diferenças entre as diversas opções de gerações e marcas de dispositivos para TAVI disponíveis no mercado. Essas opções diferem principalmente na estrutura, via de inserção e modo de expansão. As válvulas de terceira geração vêm apresentando os melhores resultados em termos de eficácia, segurança e facilidade no procedimento, que resultam em mais benefícios aos pacientes e equilibram os custos de tratamento em médio e longo prazos. Conclusões: Estudos com evidências robustas avaliando desfechos representativos para o tratamento da estenose aórtica grave e sintomática mostram que a tecnologia minimamente invasiva TAVI é eficaz, segura no tratamento de pacientes de alto risco ou inoperáveis, com melhorias significativas nos dispositivos de terceira geração.
Objective: To review the clinical evidences of aortic valve stenosis in its medical and economical settings, reviewing the surgical treatment alternatives in patients at high surgical risk focused on the transcatheter aortic valve implantation (TAVI) technology. Methods: A structured review of the publications related to the disease and to the surgical treatment methodologies was conducted, followed by a search for information about the TAVI methodology, with comparisons between this method and conventional approaches (surgical aortic valve replacement by means of sternotomy, valvuloplasty via intra-aortic balloon and pharmacological treatment) and comparisons between different brands and generations of TAVI devices, evaluating the treatment efficacy, safety and cost. Results: In patients with severe symptomatic aortic stenosis who cannot be operated using the conventional approach, the use of TAVI was shown to be a safer, more effective and more economical alternative compared to the conventional treatments. The studies of the best methodology show that this is a safe, effective and curative procedure, reaching rates above 80% in 1-year survival and of approximately 30% in 5-year survival, even in patients at high risk. However, significant differences in the outcomes among different studies were observed, which may be attributed to the design and sampling as well as to the differences among the several options of TAVI devices available on the market. These options differ in structure, insertion route, expansion mode and in the several generations of valves. Third-generation valves have been presenting the best results in terms of efficacy, safety and procedure easiness, which result in more benefits to patients and balance the medium-term and long-term treatment cost. Conclusions: The most robust studies evaluating the TAVI valves show that this minimally invasive technology is effective and safe for the treatment of severe symptomatic aortic stenosis in patients at high risk or who cannot be operated.